Inclusão e Educação Especial

Promoção de Natal
Alta resolução +
De R$ 53,00 por R$ 37,00

Letramento e minorias

Ana Claudia B. Lodi et al. (Orgs.)
ISBN: 978-85-87063-64-9
ed. 160 p.
Os textos aqui reunidos versam sobre a exclusão social dos grupos minoritários e sobre problemas de letramento com alunos especiais, com várias discussões em torno do mesmo eixo temático, com uma linguagem acessível e contribuições teórico-práticas a partir da realidade escolar. Destacam-se os capítulos sobre a ortografia e as camadas populares, o letramento de alunos surdos e com deficiência mental e visual, experiências de intérpretes de Libras no ensino regular e o uso do computador com crianças surdas.
  • Sumário
    Prefácio

    A pergunta pelo outro da língua; a pergunta pelo mesmo da língua
    Carlos Skliar

    Introdução
    A escola, o fracasso escolar e a leitura

    Carlos Sánchez

    Sobre a natureza dos erros, especialmente os de grafia
    Sírio Possenti

    Letramento e surdez: um olhar sobre as particularidades dentro do contexto educacional
    Ana Claudia B. Lodi
    Kathryn Marie P. Harrison
    Sandra Regina L. de Campos

    Papel da língua de sinais na aquisição da escrita por estudantes surdos
    Maria Cristina da Cunha Pereira

    Língua de sinais e língua portuguesa: em busca de um diálogo
    Lodenir Becker Karnopp

    Transcrições de língua de sinais brasileira em signwriting
    Marianne Rossi Stumpf

    O surdo como contador de histórias
    Antônio Carlos Cardoso Alves
    Lodenir Becker Karnopp

    A construção da leitura e da escrita a partir das narrativas orais dos contos de fada
    Ivone Panhoca

    Política pública de inclusão de minorias e maiorias
    Fernando José de Almeida

    Tecnologia e ensino inclusivo: uso do computador por crianças e adolescentes com deficiência visual
    Adriana Lia Friszman de Laplane
    Celma dos Anjos Domingues

    A escolarização da pessoa com deficiência mental
    Maria Cecília Carareto Ferreira

    O conceito de zona de desenvolvimento proximal: reflexões sobre a questão da inclusão
    Ana Paula de Freitas

    Alunos surdos na escola regular: as experiências de letramento e os rituais da sala de aula
    Maria Cecília Rafael de Góes
    Dulcéria Tartuci

    O intérprete educacional de língua de sinais no ensino fundamental: refletindo sobre limites e possibilidades
    Cristina B. F. de Lacerda

    Questões do intérprete da língua de sinais na universidade
    Ricardo Sander

    Educação de surdos e questões de norma
    Regina Maria de Souza

    Letramento e minorias numa perspectiva das ciências sociais
    Ottmar Teske
  • Trecho
    Introdução
     
    A origem deste livro se situa no Fórum Letramento e Minorias realizado, em março de 2002, na Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP). No entanto, a idealização e a organização desse evento remete-nos ao VI Congreso Latinoamericano de Educación Bilíngüe y Bicultural para Sordos, ocorrido em julho de 2001, em Santiago do Chile. Esse Congresso, marco de referência de educadores, profissionais de áreas afins e de pesquisadores no campo da surdez vem, historicamente, problematizando as questões que envolvem o letramento (em suas diversas acepções). Entretanto, a última edição desse Congresso se diferenciou dos anteriores, na medida em que as discussões relativas ao letramento começaram a apontar para uma questão que vem sendo debatida e aprofundada, já há algum tempo, por um número restrito de pesquisadores: a problemática do letramento não se restringe à situação dos surdos, mas, na verdade, reflete um contexto sociocultural geral, que envolve as políticas educacionais em desenvolvimento. Porém, não podemos nos furtar de assumir que as minorias têm sua situação agravada, dada a diversidade linguística e cultural constitutiva desses grupos sociais. Assim, organizamos o Fórum Letramento e Minorias, tendo como objetivo a realização de um evento no qual pesquisadores, de diversas áreas, pudessem apresentar e discutir entre si, a situação em que vivem e as perspectivas que se abrem às minorias socioculturais, de maneira mais aprofundada do que é possível em um congresso. Melhor dizendo, o interesse residiu em ampliar os horizontes, aprofundar o tema, procurando compreender as causas implicadas na exclusão social dos grupos minoritários, ao mesmo tempo em que linhas de atuação política para a mudança dessa situação fossem pensadas, respeitando-se as especificidades dos diversos grupos envolvidos. As instituições que assumiram a organização do I Fórum foram: a Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP), a Divisão de Educação e Reabilitação dos Distúrbios da Comunicação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (DERDIC-PUC-SP), a Fundação de Rotarianos de São Paulo – Escola Especial para Crianças Surdas (FRSP-EECS) e a Universidade Luterana do Brasil (ULBRA). Dada a qualidade das discussões e o interesse demonstrado por muitas pessoas, os participantes do evento decidiram pela publicação deste livro. Coube a nós, os organizadores, a tarefa de torná-lo uma realidade. Analisando a totalidade do material, pudemos perceber que a ideia central – letramento e minorias – atravessa todos os textos, remetendo o leitor aos diferentes pressupostos de letramento e aos problemas enfrentados nas práticas desenvolvidas no interior das políticas inclusivas. O conjunto desta obra, indica, assim, a existência de uma pluralidade de caminhos, e os textos aqui apresentados, oferecem ao leitor férteis reflexões de matizes diferenciados que partem de olhares teóricos distintos. Porém, é nas diferenças que nascem os bons diálogos, o que deveria ser uma condição permanente nas relações entre intelectuais, pesquisadores e sociedade. Dessa forma, esperamos, com este livro, poder contribuir para o aprofundamento das questões referentes ao letramento de e para minorias, sem perder a relação com a realidade na qual essa prática está inserida. Sabemos que a discussão que envolve as questões aqui apresentadas não pressupõe consenso, e estamos certos de que nenhum autor o almeja, pois isso seria empobrecedor. Este livro, consequentemente, também não pressupõe consenso, mas sim, pretende o rigor, reivindica formas de pensar diferenciadas, a partir de possibilidades teórico-práticas que indiquem como enfrentar algumas problemáticas. Dessa forma, gostaríamos que a este primeiro texto outros mais se juntassem com o passar do tempo, uma vez mais apostando nas contribuições que a diversidade (de pesquisadores, de áreas, de atuações e de bases teóricas) pode trazer para as reflexões de cada um e de todos.
    Aproveitamos a oportunidade para alguns agradecimentos. Inicialmente, ao Prof. Dr. Carlos Skliar, por sua disponibilidade em escrever o prefácio, que conduz a uma importante reflexão sobre os temas aqui abordados, ao evidenciar a polissemia dos termos centrais deste livro – letramento e minorias – e ao antecipar os objetivos que nós, como organizadores, tivemos com esta obra: a possibilidade de discutir as questões aqui implicadas a partir da diversidade de lugares teóricos, suscitando, assim, leituras também diversas. Agradecemos também, o apoio recebido de nossas instituições, que nos disponibilizaram recursos para a realização do Fórum, semente deste livro.
    Os organizadores

Sugestões de outros títulos:

carregando...