Inclusão e Educação Especial

20%
Alta resolução +
De R$ 49,00 por R$ 39,20

Indisciplina

disciplina: ética, moral e ação do professor

Yves de La Taille et al.
ISBN: 978-85-7706-007-8
ed. 120 p.
Este livro reúne três capítulos de estudiosos da psicologia, entre eles Yves de La Taille, psicólogo, emérito educador e pesquisador. Seu texto, numa abordagem ímpar e didática, leva o leitor a refletir sobre a escola atual e os valores morais e éticos que aí convivem, desafiando gestores e educadores a enfrentar a diversidade sociocultural, atos de violência e agressão dos alunos. José Sterza Justo, em continuidade, analisa a turbulência vivida pela escola como epicentro da crise social, valorizando-a, contudo, em seu papel de arrimo à infância e à juventude desde que alicerçada na evolução da sociedade e no respeito ao pensamento dessa geração. Nelson Pedro-Silva, no capítulo final, contribui para a discussão com uma série de considerações sobre como lidar com a indisciplina, enfatizando a relação professor-aluno e sugerindo estratégias para se alcançar o vínculo afetivo entre eles, essencial à formação de cidadãos.
 
  • Sumário
    A escola e os valores: a ação do professor
    Yves de La Taille

    O conhecimento
    A moral: como devo agir?
    A ética: que vida eu quero viver?
    Referências

    Escola no epicentro da crise social
    José Sterza Justo

    A escola em destaque entre as instituições modernas
    Escola: uma instituição ainda preservada e valorizada
    A educação e a instituição escolar
    Subjetivações destrutivas: a questão da violência
    Considerações finais: o papel da escola na contemporaneidade

    Ética, (in)disciplina e relação professor-aluno
    Nelson Pedro-Silva

    Esclarecimentos sobre ética e moral
    Sobre disciplina/indisciplina
    O que se sugere aos educadores?
    As relações pedagógicas: o necessário vínculo
    entre o ensinante e o aprendiz
    Como eliminar a indisciplina?

     
  • Trecho
    É claro que a escola não é a única instituição responsável pela educação moral. A família tem muito peso e os valores nela presentes podem atrapalhar, e muito, ou ajudar, e muito, o trabalho dos professores. Mas atrapalhar não significa impedir, e ajudar não significa substituir. Enquanto as escolas não se dotarem de uma pedagogia explícita de formação moral, não poderão legitimamente se queixar de problemas de incivilidade, desrespeito e violência.

    Yves de La Taille


    Uma primeira constatação se faz inevitável: no conjunto das instituições modernas tradicionais em franco declínio ou desprestigiadas, a escola continua sendo, ao contrário, extremamente valorizada e preservada. Ela resiste aos ventos dos novos tempos, mais do que até mesmo a família. Continua sólida em seus fundamentos e, mais do que isso, é vista como imprescindível para o atendimento das demandas de formação intelectual e transmissão formal dos legados da cultura e é tida como remédio para quase todos os males.

    José Sterza Justo


    É a escola que deve estar preparada para receber o aluno e não o oposto. Afinal de contas, ela tem como função precípua promover a educação, isto é, contribuir para a transformação do indivíduo em um ser civilizado. Então, partimos do pressuposto de que os seus membros e sua política são mais desenvolvidos do que os aprendizes e seus respectivos familiares. E não poderia ser de outra maneira. Caso contrário, a escola e os educadores profissionais perderiam sua razão de ser.

    Nelson Pedro-Silva

Sugestões de outros títulos:

carregando...